Scroll Top

Olhão

HISTORIA

      

Diz-se que Olhão, terá derivado da palavra árabe, «AL-HAIN», que significa fonte nascente, e que sofrendo as modificações fonéticas e fonológicas, naturalmente terão levado ao aparecimento do termo «ALHAM», depois «OLHAM» e finalmente OLHÃO. Na versão popular e segundo velhos testemunhos, Olhão é o aumentativo do substantivo comum "olho", com origem num grande "Olho de Água" (fonte, nascente ou poço de grande caudal), já que na zona existiam abundantes olhos de água, o que originou a construção das primeiras "palhotas", feitas em cana e colmo.

A mais antiga referência escrita é de um documento do rei D. Fernando datado de 2 de Abril de 1378. Nos inícios do sec. XVII há notícia do primeiro edifício de pedra e cal: a capela de Nossa Senhora do Rosário que, após a construção da Igreja Matriz passou a ser denominada de Nossa Senhora da Soledade. A Igreja Matriz abriu ao culto em 1715, tendo sido edificada "à custa dos homens do mar". Nesse ano a Rainha D. Maria Ana de Áustria, mulher de D. Pedro V, emite um alvará autorizando a levantar "uma morada de casas para sua vivenda e habitação", seguindo-se muitas outras e ao longo do sec. XVIII processa-se o desenvolvimento urbanístico e populacional de Olhão.

A 16 de Junho de 1808, os marítimos de Olhão encabeçam a luta contra a presença das tropas francesas, levando à sua expulsão do Algarve. A 16 de Julho desse ano parte, rumo ao Brasil, o caíque Bom Sucesso, com 17 tripulantes a bordo, para avisar o príncipe regente D. João, que concede ao antigo lugar de Olhão o título de Vila do Olhão da Restauração.

Por volta de 1881 surge a primeira fábrica de conservas de peixe e em breve Olhão tornou-se um dos maiores centros industriais do Algarve. Incrementaram-se armações de pesca, viveiros, a construção naval e o tráfego portuário.

Ao longo do sec. XX o seu crescimento continua ligado à actividade da pesca e da indústria conserveira, sendo elevada a categoria de cidade em 1985: a Cidade de Olhão da Restauração.

GASTRONOMIA

     

Falar de Olhão é falar de marisco, é aqui que se celebra o maior festival nacional relacionado com o tema, um dos grandes eventos gastronómicos do país, o Festival do Marisco. Ocorre durante o mês de Agosto e é onde se podem provar os melhores mariscos e bivalves, assim como cataplanas, camarões, lagostas, ostras, arroz de marisco, etc, tudo isto acompanhado com música ao vivo com artistas nacionais e internacionais.

O peixe também tem especial destaque pela sua frescura, vindo da Ria ou do mar, associado depois, às variadíssimas receitas dos pescadores transformam-se em pratos inesquecíveis, algumas das especialidades dos restaurantes da zona. A lista é longa, e inclui desde o safio guisado aos chocos com favas, da pescada e do cherne cozidos às lulas abafadas, do berbigão guisado e arroz de lingueirão ao xarém com conquilhas. Para o interior, a cozinha fala de campo, de agricultura: feijão com arroz e castanhas, grão com massa e ervilhas com ovos, preparadas com toucinho, chouriço e carne de porco.

Os doces não devem ser esquecidos. O folar de Olhão é talvez o mais famoso e procurado, mas não deixe de provar os tradicionais bolos regionais à base de amêndoa ou de figo ou as deliciosas "trutas".

CAMINHO DAS LENDAS

O Caminho das Lendas é um percurso pedonal que liga cinco dos principais largos da zona histórica de Olhão. Os mesmos foram intervencionados e melhorados, tornando-os mais funcionais e aprazíveis. Pretendeu-se assim, valorizar o património histórico e urbanístico da cidade, ao mesmo tempo que cada largo ficará associado a uma lenda original de Olhão, perpetuando a memória colectiva do nosso povo. O Caminho das Lendas é uma sugestão cultural, turística e histórica, ao dispor de todos os que nos queiram visitar e conhecer.

O QUE FAZER - Guias e Roteiros

Faça já o download do Roteiro Turístico de Olhão e veja as inúmeras actividades e locais de interesse na cidade. Clique aqui.

Cozinha Regional do Algarve - Conheça as receitas que encantam os amantes da boa comida.

Guía de Turismo de Natureza - Os tesouros naturais (ainda) escondidos do Algarve.

Rotas e Caminhos - Do Barlavento ao Sotavento, nada é esquecido.

Guía de Praias - As mil e uma praias do Algarve.

Património Cultural - Férias no Algarve também são sinónimo de património e cultura.

Observação de Aves - Com mais de 300 espécies ao longo do ano, o Algarve é perfeito para esta prática.

Percursos Pedestres - A pé nada se perde e tudo se conquista.

Rota da Cortiça - Mais do que um percurso, uma história.

Vinhos do Algarve - A Região Vitivinícola do Algarve.

Algarve, quem és tu? - Livro infantil para todas as crianças ficarem a conhecer de uma forma original a região.

Video Promocional de Olhão

Fontes: Câmara Municipal de Olhão

GuestCentric - Hotel website & booking technology
VeriSign Secured, McAfee Secure, W3C CSS compliant